Polícia


Sargento dos Bombeiros participou de pelo menos 3 mil atendimentos


Data: 08/03/2018

“Não basta apenas salvar vidas, é preciso amar salvar vidas”, é o que diz a sargento BM Eneida Simone Souza Cachoeira, 45 anos, comandante de Atendimento Pré-hospitalar do Salvar, unidade pertencente ao 12ª Grupamento de Bombeiros Militar (Salvar), que atua em Salvador e Região Metropolitana. Há 20 anos na corporação, participou de pelo menos 3 mil atendimentos, salvando vidas de pessoas envolvidas em acidentes, desabamentos e incêndios.

A militar explicou que antes de entrar para os Bombeiros se formou no curso técnico de enfermagem e trabalhou em postos de saúde. “Lidava com as pessoas, quando decidi fazer o concurso para complementar a minha profissão” contou a sargento, que se encontrou no grupamento Salvar e nunca mais quis sair da unidade.

A calmaria na voz não mostra o tamanho da garra de Eneide. Segundo ela, a força para lidar com as situações adversas vem da bagagem que carrega durante todos esses anos. “As vezes a gente vê tipos ocorrências e acha que não vai conseguir resolver. Daí surge a força para encarar os piores situações”, ressaltou.

bombeirs

A sargento chega a ser conhecida como 'Pé de ocorrência’, por parecer atrair serviço nos seus plantões. “Lembro de um carro que ficou imprensado entre um ônibus e um caminhão. Foram várias vítimas, oito delas em estado grave. Quando a gente pega uma ocorrência como essa, a tensão é grande. Acidentes com múltiplas vítimas, perfil de ocorrência que fico à frente, exigem atenção total da guarnição”, explicou.

Mesmo com a força necessária para assumir a liderança de grandes ocorrências, ela não esconde a sensibilidade com que trata as situações. “Desabamentos me marcam muito, geralmente é muito difícil, mas consigo separar o emocional dos meus atendimentos. Eu tento agir ao máximo com a razão para resolver o problema. O Salvar é a única unidade que trabalha em todos os tipos de situações. Qualquer ocorrência que tenha vítima nós somos capazes de atender. O preparo emocional tem que está à frente”.

Capacitada

Além de salvar vidas também ela é uma das responsáveis por capacitar socorristas para os recém-chegados na unidade. Também possui curso de especialização em emergência, o que auxilia no repasse dos conhecimentos aos colegas, inclusive para profissionais de outras forças como Rondesp e o Batalhão de Polícia de Choque da Polícia Militar. “A experiência nos amadurece. Eu sou do tempo que o trânsito matava muito, nossa roupa fedia a sangue, era um acidente atrás do outro. Hoje a realidade é outra, o perfil dos acidentes mudou muito”, continuou.

A equipe de Eneide ganhou o prêmio de melhor serviço prestado durante o ano de 2017 pelo Corpo de Bombeiros. “É gratificante ter nosso trabalho reconhecido, tudo que eu faço é com muito carinho”, finalizou.

bombeiros