Política


Vaticano diz que terço que teria sido dado a Lula não é presente do Papa


Data: 12/06/2018

Consultor do Vaticano Juan Gabois disse ter levado um rosário abençoado pelo Papa Francisco. Polícia Federal afirmou que visita de Gabois não foi autorizada e que não sabe se terço foi entregue.

Vaticano afirmou nesta terça-feira (12) que o terço que teria sido entregue ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na Superintendência da Polícia Federal (PF) em Curitiba, na segunda-feira (11), não foi enviado pelo Papa Francisco.

O simbolo religioso foi levado por Juan Gabois, assessor de questões de Justiça e Paz do Vaticano e coordenador de encontros do Papa com movimentos sociais. Segundo ele, o presente era em nome do Papa

Entretando, por meio de redes sociais, o Vaticano afirmou que a visita de Gabois era pessoal e não em nome do Papa. Ainda conforme a publicação, o terço, “como tantos outros”, é abençoado e distribuído em inúmeras ocasiões.

Lula está detido em uma sala especial, desde 7 de abril. Ele foi condenado em primeira e segunda instância no processo da Operação Lava Jato relacionado ao triplex do Guarujá, no litoral de São Paulo.

O ex-presidente foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ele nega as acusações.

Visita negada

O advogado Gabois tentou visitar o ex-presidente, entretanto, segundo a Polícia Federal, a entrada dele não foi autorizada.

PAPA E LULA#VaticanNews se atém ao que disse o advogado #JuanGrabois: o terço não é um presente do #PapaFrancisco a #Lula. Como tantos outros, é um terço abençoado e distribuído em inúmeras ocasiões. A visita era pessoal e não em nome do Papa. @Pontifex_pt

— Vatican News (@vaticannews_pt) 12 de junho de 2018

Na saída, Gabois disse que tinha esperança de passar uma mensagem para o ex-presidente e que levou um rosário, presente do Papa ao Lula. Segundo Gabois, a entrada dele foi barrada porque ele não é um sacerdote consagrado.

“Considero que estamos de frente a claro caso de perseguição política”, afirmou Gabois.

Procurada pelo G1, a PF afirma que desconhece se o ex-presidente recebeu o símbolo religioso e que não iria emitir nota oficial sobre o assunto.

Fonte: Site oumarizalense.com