Acontece na Bahia


Suspeito de matar delegado morre durante perseguição policial na BR-116


Data: 14/04/2018

Foi encontrado nesta sexta-feira (13), o corpo do delegado Marcos Antônio Torres, titular da delegacia de Barra da Estiva, na Chapada Diamantina.

De acordo com o portal Achei Sudoeste, o corpo estava carbonizado dentro do carro dele, uma Hilux, encontrada incendiada em uma estrada vicinal entre o distrito de Sussuarana, em Anagé, e o município de Tanhaçu, no sudoeste baiano.

Ainda conforme publicação do veículo de comunicação,  o delegado tinha saído de Barra da Estiva,  na quinta-feira (12) por volta das 15h e seguia para Vitória da Conquista, com destino final ao interior de Minas Gerais, estado de origem do delegado.

Ainda não há mais informações sobre as circunstâncias do crime.

 O caso está sendo  investigado pela equipe do coordenador da 20ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin/Brumado), delegado Leonardo Rabelo.

Marco Antônio Torres é mineiro e está a mais de 20 anos na Polícia Civil. Ele é delegado titular na cidade de Barra da Estiva e substituto da delegacia de Ibicoara.

Em nota divulgada a imprensa, a Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) disse que determinou apuração rigorosa do caso e que vem prestando apoio aos familiares do delegado.

Morreu nesta sexta-feira (13) um dos suspeitos de assassinar o delegado da cidade de Barra da Estivadurante uma perseguição policial. Segundo informações do blog Júnior Mascote, unidades da Polícia Militar, da Polícia Civil e da Polícia Rodoviária Federal (PRF) encontraram perto de uma praça de pedágio, na BR-116, os suspeitos de participar do crime. Na ação, um deles foi baleado e morreu no local. Os demais bandidos conseguiram fugir. O corpo do delegado Marcos Antônio Torres, titular da delegacia de Barra da Estiva, foi encontrado ontem carbonizado dentro do carro dele, uma Hilux. O veículo foi encontrado incendiado em uma estrada vicinal entre o distrito de Sussuarana, em Anagé, e o município de Tanhaçu, no sudoeste baiano. Entenda o caso veja aqui Entenda o caso veja aqui